A humanidade faz uso das plantas curativas desde a antiguidade e a prática foi documentada em diversas culturas que formaram as nossas sociedades. A partir do século XX, o poder desses verdadeiros remédios naturais passou a ser mais estudado e o que antes era tratado como sabedoria popular ganhou atenção da ciência.

Atualmente já é consenso que diversas dessas plantas podem ajudar na manutenção da saúde e da qualidade de vida. Se você deseja levar uma vida mais saudável e longe de doenças, recorrer às plantas curativas pode ser um excelente caminho.

Existem diversas espécies que ajudam a prevenir patologias e sanar problemas, com melhorias nos aspectos físico e emocional. Neste texto apresentamos alguns tipos de plantas curativas e os efeitos poderosos que elas podem trazer.

Tipos de plantas curativas para tratamento e prevenção

O poder curativo das plantas se apresenta de diversas maneiras e, em muitos casos, depende de preparo e quantidades específicas. Raízes, folhas, sementes, caules e até o óleo de algumas espécies podem ser usados para determinados benefícios. Por isso é essencial conhecer mais sobre o assunto e entender como on consumo pode te ajudar. Atualmente já há, inclusive, suplementos que carregam a dose ideal dos princípios ativos presentes nessas plantas.

1. Cúrcuma

A cúrcuma, também conhecida como açafrão-da-índia e açafrão-da-terra, é uma planta de raiz longa e alaranjada, com folhas compridas e brilhantes que têm cerca de 60 cm.

Muito utilizada como tempero, ela também pode representar uma alternativa curativa. Isso porque, estudos apontam que a Cúrcuma tem poder antioxidante, anti-inflamatório e antibacteriano.

Com essas propriedades, a espécie pode ajudar em diversos casos. Ela contribui, por exemplo, para um boa digestão e ajuda a tratar gripes, resfriados, problemas respiratórios, disfunções no fígado e até vermes intestinais.

Há pesquisas que apontam benefícios também no controle de peso, na saúde da pele (inclusive no tratamento de queimaduras e feridas), na regulação da flora intestinal e fortalecimento do sistema imunológico.

Todas essas vantagens estão ligadas ao princípio ativo da cúrcuma, chamado de Curcumina. No entanto, a porcentagem dessa substância na planta é baixa e o simples consumo como tempero ou chá não garante a quantidade adequada para que os benefícios apareçam.  Esse é um dos casos em que o consumo em cápsulas é mais simples e adequado.

2. Alga (Litho)

As algas marinhas são conhecidas como ervas que não contêm vasos condutores de seiva. Ou seja, necessitam apenas da fotossíntese para existirem. Elas são muito utilizadas na fabricação de cosméticos, mas o que poucos sabem é que possuem vantagens medicinais eficientes.

A alga litho, de cor avermelhada e pertencente à família das calcárias, pode ser facilmente encontrada no Brasil.

Essa planta é rica em fibras, vitaminas, minerais e outras substâncias que ajudam a manter o corpo saudável, longe de diversas doenças.

Entre os principais benefícios estão:

  • aumento da imunidade e melhora do metabolismo;
  • desintoxicação do organismo e do sangue;
  • aprimoramento das funções cerebrais;
  • proteção do estomago e redução do apetite;
  • efeito tranquilizante.

É possível encontrar o extrato da planta em cápsula, e a  recomendação é de que seja consumido três ao dia com bastante líquido.

3. Cranberry

A cranberry se tornou muito conhecida nos últimos anos. Ela vem de um arbusto pequeno, originário da América do Norte. É rica em proantocianidina, substância que, segundo pesquisas, é 25 vezes mais eficiente que a vitamina.

Além disso, a cranberry tem vitamina C e nutrientes altamente recomendados para uma dieta equilibrada.

Trata-se na verdade de uma fruta que ajuda a cuidar de problemas na bexiga, além de ser ótima aliada no combate do diabetes tipo 2, da síndrome da fadiga crônica, do câncer e de doenças cardiovasculares.

Você pode encontrar a fruta fresca, seca ou em calda e consumí-la  de acordo com suas preferências.

4. Gengibre

O gengibre é uma planta herbácea, com sabor forte e muito utilizada na mistura de sucos e de temperos. De acordo com estudos, essa raiz tem  poder curativo e é um anti-inflamatório eficiente.

É comum as pessoas utilizarem o gengibre em chás para combater resfriados e gripes, mas seus efeitos vão além.

Entre os componentes da raiz é possível encontrar substâncias anticoagulantes, vasodilatadores, analgésicos e digestivas. Com isso, ela é recomendada no tratamento de gastrite, pressão alta, colesterol alto, problemas circulatórios, dores musculares e inflamações.

Você pode comprar o gengibre em supermercados e feiras e usar uma pequena porção em chá, suco ou misturar apenas na água. Também é possível encontrar cápsulas em farmácias e lojas de produtos naturais.

5. Jaborandi

Essa planta é muito utilizada na produção de produtos de beleza, mas seus resultados são também muito satisfatórios na manutenção da saúde.

O jaborandi estimula a produção de sudorese e salivação, o que ajuda o organismo a eliminar secreções. Isso ocorre porque seu princípio ativo é a pilocarpina, encontrada nas folhas, uma substância que ajuda a acabar com tosses e inchaços.

Para usar corretamente, é necessário fazer uma infusão de 1 colher de sopa de folhas secas em uma xícara de água quente. Mas é importante destacar que mulheres grávidas não devem consumir o jaborandi.

6. Malva

Com propriedades anti-inflamatórias e antibacterianas, a malva é apontada em estudos como uma forte aliada no combate a  problemas bucais. Isso porque as folhas possuem mucilagens e antocianina que ajudam a sanar inflamações na região.

Pesquisas  ainda que ela pode ajudar no tratamento da gastrite e controla outras doenças estomacais, devido ao camazuleno, um forte anti-inflamatório.

Dentre seus principais benefícios, segundo os pesquisadores, estão: eliminação de úlceras, gastrites e inchaço na boca.

Para consumi-la, basta misturar uma colher de sopa da erva em uma xícara de água e fazer gargarejo. Você ainda pode ingerir a mistura para aliviar infecções intestinais.

7. Pata-de-vaca

Essa planta é composta por heterosídeos e alcaloides que ajudam a controlar as taxas de glicose no organismo. No ano de 1940, pesquisadores brasileiros já mostravam que bastava apenas um chá da planta para equilibrar os níveis de açúcar no sangue.

O seu maior benefício é o combate à diabetes, especialmente para quem não depende da insulina. Para os portadores do tipo 1, que necessitam do hormônio sintético, a pata-de-vaca pode ser usada como um complemento ao tratamento, mas sempre com indicação de um profissional da saúde. O consumo deve ser feito três vezes ao dia, antes das refeições.

Com todas essas informações, fica fácil chegar à conclusão de que as plantas curativas podem ser importantes aliadas para combater e prevenir diversas doenças. Ainda assim, vale ressaltar que é fundamental acompanhamento médico para entender o real problema e os tratamentos mais eficientes para o seu caso.

Gostou das nossas dicas? Que tal receber outras informações como essas? Assine nossa newsletter e fique por dentro.

Powered by Rock Convert